BAMBOO
setembro, 2015

MARINA LINHARES CRIOU UM LOUNGE DE CONVIVÊNCIA COM MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DE USO PARA O UNIBES CULTURAL, EM SÃO PAULO


Texto Maria Silvia Ferraz • Fotos Romulo Fialdini


Partindo dos princípios de que a cultura é um dos pilares do desenvolvimento humano e o espaço coletivo promove diferentes formas de conhecimento, a Unibes Cultural recentemente abriu suas portas em São Paulo, ao lado do metrô Sumaré. O prédio onde antes funcionava o Centro de Cultura Judaica, projetado por Roberto Loeb, ganhou novos ares com ambientes interiores criados por Marina Linhares “É maravilhoso ter um centro cultural numa região tão central da cidade, com potencial de atingir tantos jovens”, diz Marina.


O projeto de interiores levou em consideração dois fatores: as necessidades da juventude que ocupariam o lugar e a marcante arquitetura do edifício. Para acolher o público, o objetivo de Marina era criar uma área em que as pessoas de fato pudessem conviver em harmonia. “Imaginei que alguns iriam para lá trabalhar com o notebook, outros para tomar um lanche, outros para conversar”, conta. Por isso, o mobiliário é tão versátil, com um amplo sofá e mesa comunitária incentivando a interação e com potencial para acomodar grande número de pessoas, enquanto mesinhas, poltronas, cadeiras e pufes servem para atividades mais íntimas.


O outro fator importante, a arquitetura, levou ao desenho exclusivo para o sofá, que acompanha as colunas com suas curvas. Outras peças redondas brincam com o formato da grande janela na parede lateral. A cor verde que predomina nos estofados foi escolhida por combinar bem com o concreto. As cadeiras Bertoia já pertenciam ao Unibes e, pela leveza, serviram bem ao propósito de versatilidade do espaço. Já as mesas e poltronas são assinadas por Fernando Jaeger. “Fiquei muito feliz em ajudar num projeto público de incentivo a cultura. Soube que a sala tem sido muito frequentada”, conta Marina.


O Unibes ainda terá uma praça de alimentação na área externa e a fachada passará por reforma do arquiteto Roberto Loeb em outubro. O local vem abrigando palestras, cursos, exposições e feiras de design. Em setembro, a programação infantil inclui com contadores de histórias e peças de teatro, enquanto jovens e adultos poderão participar de cursos de música como ‘Rita Lee e a transformação da mulher brasileira’, ‘Do carimbó ao tecnobrega: uma breve história do pop paraense’ e ‘Uma viagem à desconhecida psicodelia brasileira’, em outubro e novembro.