CASA COR RIO
2015

CASA DOS COCARES

Nos projetos de Marina Linhares, a estética apurada anda de mãos dadas com o conforto. Mais que ser vista, a casa precisa ser vivida, por isso ela costuma misturar móveis, objetos e acessórios de períodos, estilos e materiais distintos. Eles podem ser de família, encontrados num garimpo ou numa viagem. E, não raro, estão lado a lado com peças de design premiado. Em suas primeira participação na CAS A COR RIO, Marina buscou inspiração na beleza da cidade e de sua arquitetura para transformar a Villa Kiriri na Casa dos Cocares.

Arnaldo Danemberg Antiquário | Dpot | Entreposto | Etel Interiores | High End | La Lampe | Trousseau  



PONTE AÉREA

Chiques, elegantes e descontraídos, segredinhos que revelamos para vocês

Os arquitetos e decoradores cariocas estão festejando as bodas de prata da Casa Cor. Com mais estilo do que nunca, já que está sendo montada na Villa Aymoré, em oito cassa geminadas, do início do século 20 e tombadas pelo Patrimônio Histórico. Um desafio delicioso para dois profissionais de primeira linha: o gaúcho/carioca André Piva e a paulista Marina Linhares. E o que será que eles pensam sobre o Rio e São Paulo? Fomos pesquisar e encontramos mais semelhanças do que diferenças. Confiram no nosso pingue-pongue.

Suzete Aché, jornalista do Caderno Ela, O Globo



Com suavidade e fala mansa, a decoradora Marina Linhares conversa com paixão de seu trabalho, mesmo depois de 20 anos de carreira. Cada projeto é um desafio que ela enfrenta fazendo muitas pesquisas e buscando inspiração em suas viagens, nas andanças pela capital paulista, em livros e filmes. Mas o mais importante é o cliente. “Procuro ouvir o morador e construir a sua história, que não é a minha”, diz ela. Seu estilo eclético se reafirma na mistura bem temperada de móveis e objetos de vários períodos e numa descontração elegante. Segundo ela, muito parecida com o estilo carioca de morar. E quem pensa que não existe espaço em sua agenda profissional se engana. Marina lançou uma linha exclusiva de aromatizadores de ambientes e um projeto multimídia com livro e vídeo intitulados “Morar é Viver”, com roteiro de Baba Vacari e fotos de Pisco Del Gaiso, onde mostra 25 obras suas. E a família? Vai, obrigada! A decoradora sempre encontra espaço para as filhas e todo seu tempo libre é dedicado a elas e ao marido, Tomas Perez. Sua estreia na Casa Cor Rio coincide com as “bodas de prata” da edição carioca.

Como descreveria o espaço? Quis fazer um espaço que tivesse diálogo com a Villa Aymoré, com o passado do Rio. Escolhi mostrar o trabalho do Coletivo de Maria, que são cocares estilizados, fazendo uma saudação à ancestralidade dos habitantes. Vai se chamar Casa dos Cocares.

É a primeira vez que participa da Cara Cor Rio? Já namoro a Casa Cor Rio faz tempo, mas por problemas de agenda, não consegui participar. E dessa vez deu certo. Foi um presente para mim, fiquei seduzida pela história do local.

Como definiria seu estilo? Acho que meu estilo é eclético. Eu ouço o cliente e tento contar sua história, que não é a minha.

Tem projetos no Rio? Tenho projetos no Rio, adoro a cidade e gostaria de fazer mais vezes.

Quantas pessoas trabalham em seu escritório? Faz projetos em outros estados, em outros países? Cerca de 30 pessoas trabalham comigo e tenho obras também em Paris e Estados Unidos.

Quais são os arquitetos, decoradores e designers que mais admira? Adoro os profissionais cariocas: Lia Siqueira, Tiago Bernardes e Jorge Hue.

Quais são as cidades – ou países – que mais gosta? Adoro o Brasil.

O que gosta de fazer nas horas vagas? Ler, pedalar e curtir minha família…

Quando vem ao Rio, o que costuma fazer? Quais seus lugares prediletos? Tenho um prazer enorme de vir ao Rio, ir à praia, andar no calçadão. E vou sempre aos lugares mais tradicionais.

Qual a maior diferença entre o estilo do carioca e do paulista? O carioca é mais descontraído e acho que o estilo é muito parecido com o meu. Costumo projetar casas para muitos cariocas, é engraçado isso.

O que acha da arquitetura no Rio? Acho a arquitetura do Rio muito linda.

O que acha mais emblemático no Rio? O visual, a natureza.

O que acha que não funciona na cidade e como poderia melhorar? Acho que é o trânsito, mas não tenho muito conhecimento para opinar.