casa vogue
junho, 2016

PORTO FELIZ | PROPORÇÃO É TUDO

A AUSÊNCIA DE ESPAÇOS INÚTEIS CARACTERIZA ESTA CASA DE CAMPO DE UMA FAMÍLIA QUE ADORA VÊ-LA CHEIA – DE GENTE E DE ARTE. AO PROJETO JACOBSEM ARQUITETURA, SOMA-SE A DECORAÇÃO ECLÉTICA DE MARINA LINHARES.

Texto Silvia Albertini • Fotos Evelyn Müller/Divulgação

Nem todos nascem sabendo que vão fazer quando crescer. alguns seguem trilhos mais percorridos ou traçados pelos familiares. Outros reconhecem seus talentos ao logo do caminho. Marina Linhares estudava administração de empresas quando começou a trabalhar com uma decoradora de interiores e descobriu sua verdadeira paixão. Determinada, completou o curso e em seguida abriu seu próprio negócio. Hoje, como ela mesmo reconhece , o rigor da formação contribuiu para o seu sucesso de seu escritório que, do Jardim Paulistano, em São Paulo, atende clientes em todo o Brasil e exterior. “A gente faz prestação de serviço, faz tudo direito. É muito importante ter boas ideias. Mais ainda, entregá-las”, reflete.

Marina, que costumava se definir “arquiteta de interiores”, conta uma equipe multidisciplinar dentro da firma e uma quantidade de parceiras externas. no caso desta casa de campo, localizada no interior paulista, ela foi responsável pela decoração e acompanhou o projeto desde seu nascimento junto aos autores da residência, os cariocas Paulo e Bernardo Jacobsen. ” A arquitetura acaba direcionando você. O projeto primoroso do Jacobsen Arquitetura nos norteia, sem dúvidas; os espaços ficam claros. então o trabalho fluiu nesse ritmo.”

A escolha da paleta de cores seguiu o critério. a construção tem fachada preta, de madeira carbonizada . “Trata-se de uma técnica tradicional usada pelos pescadores japoneses”, explica Bernardo. “O resultado do processo é a formação de uma camada de matéria morta que protege a madeira, dispensando qualquer manutenção.” Para dialogar com o tom fosco e a textura craquelada da fachada, Marina optou por criar uma base neutra, empregando diferentes tons de cinza, além dos crus e cáquis para paredes e tecidos. “em cima disso, fomos brincando com o décor: objetos de design e quadros bacanas nas paredes. As informações eram muitas”, afirma ela.

A coleção dos proprietários, apaixonados por arte contemporânea e design, protagoniza o espaço aberto para o jardim. São peças que o jovem casal com dois filhos pequenos já tinham e outras que foram adquiridas para a nova morada. Eles começaram a colecionar arte contemporânea há dez anos, quando se aproximaram do Núcleo Contemporâneo do Museu de Arte Moderna de São Paulo -MAM. A rica composição dá pitadas coloridas ao fundo neutro e expressa bem o caráter alegre e descontraído da família carioca, que gosta de receber e ter a casa cheia. “Nos quartos, ousamos ainda mais. sobre a base branca, vieram muitas brincadeiras: panos indianos, africanos e outras lembranças de viagem para criar ambientes elegantes, divertidos e despretensiosos”, acrescenta a profissional.

A casa, que tem três suítes para a família e duas para hóspedes, conta com área gourmet, sauna e sala para as crianças. Toda voltada para o exterior, tem também um jardim interno que separa os cômodos assegurando privacidade. “É uma casa sem espaços inúteis, muito gostosa, do tamanho certo. Acho que proporção é tudo para a vida”. conclui Marina.

Legenda foto página 107 • Espreguiçadeiras da L´oeil oferecem a chance de relaxar ao lado da piscina, diante da fachada de madeira carbonizada da casa – a técnica, japonesa, dispensa as paredes de manutenção.

Legenda foto página 108 • À dir. obra de Marcelo Moscheta no corredor; e, abaixo, na sala de jantar, cadeiras, na Artesian, ao redor da mesa Etel, sob pendente de Maneco Quinderé – escultura pendente de Odires Mlászho, na Galeria Vermelho. Na pág. seguinte, canto do living composto por luminária de Jean Prouvé, da Vitra, na Micasa, poltrona Flávio de Carvalho, na Dpot, mesas de apoio de madeira, da Interini, e sofá, na Conceito.

Legenda foto página 110 • À esq., o banheiro, com pendentes da Restoration Hardware e acessórios da Vallvé; e, abaixo, poltrona de Thomas Heatherwick, na Conceito, diante da piscina. Na pág. seguinte, um dos quartos abre-se para o exterior e revela, por dentro, desenhos de Claudia Melli, na H.A.P. Galeria – tapete da By Kamy.

Legenda página foto 110 • “SOBRE A BASE NEUTRA, FOMOS BRINCANDO COM O DÉCOR: OBJETOS DE DESIGN E OBRAS BOAS NAS PAREDES”
MARINA LINHARES

Legenda foto página 111 • A arejada área gourmet conta com sofá e poltronas, na Casual Exteriores, mesa lateral verde, na loja Teo, banco vermelho, na Conceito, banco de madeira, na Dpot, mesas de centro e de jantar, da Tora Brasil, e cestos e cadeiras do jantar, da L´oeil.